Atleta olímpico da Ucrânia morre no front da guerra com a Rússia

Publicado em

spot_img
Tempo estimado de leitura: < 1 minuto


oleksandr pielieshenko

O levantador de peso ucraniano Oleksandr Pielieshenko, que participou dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro em 2016, morreu no front, anunciou a Federação Ucraniana de Halterofilismo nesta segunda-feira (6). “É com grande pesar que informamos que o coração do grande atleta ucraniano Oleksandr Pielieshenko parou de bater”, afirmou a Federação no seu comunicado. Pielieshenko, que tinha 30 anos, foi bicampeão europeu (2016, 2017) e ficou em quarto lugar na categoria de até 85 quilos nos Jogos do Rio. O técnico da equipe ucraniana de levantamento de peso, Victor Slobodianiuk, escreveu no Facebook que Pielieshenko “morreu como herói, defendendo a Ucrânia”. Pielieshenko juntou-se às forças armadas ucranianas no início da invasão russa, em fevereiro de 2022, recordou o Comité Olímpico Ucraniano.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Саня Пелешенко (@oleksandr_pielieshenko_)

 

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

Míssil que transportava satélite espião da Coreia do Norte explode no ar

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - O míssil lançado pela Coreia do Norte em direção ao Japão explodiu no ar. Governo norte-coreano diz que o lançamento do satélite "falhou" após um defeito no motor do foguete. Imagens da rede japonesa NHK mostram o projétil em chamas no nordeste da China. Míssil explodiu minutos após o lançamento.

Israel prossegue com ofensiva e envia tanques ao centro de Rafah

Bombardeios israel enses em Rafah mataram pelo menos 21 civis palestinos nesta terça-feira (28), segundo dados do ministério da Saúde de Gaza, que é controlado pelo grupo terrorista Hamas. Os bombardeios ocorrem em meio a intensos combates na cidade do sul do enclave palestino. Uma operação militar israel ense realizada no inicio de maio fez com que quase um milhão de civis palestinos fugissem de Rafah, cidade que abrigou muitos palestinos nos últimos meses da guerra por conta dos combates no norte e no centro de

Espanha, Irlanda e Noruega reconhecem oficialmente Estado da Palestina

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Espanha, Irlanda e Noruega reconheceram oficialmente, nesta terça-feira (28) o Estado da Palestina, quase uma semana depois de anunciar conjuntamente a decisão, que provocou uma crise dos países europeus com Israel. A medida foi encabeçada pelo governo da Espanha, cujo primeiro-ministro, o socialista Pedro Sánchez, é um dos líderes mais