Brasil sobe 10 posições em índice de liberdade de imprensa; veja ranking

Publicado em

spot_img
Tempo estimado de leitura: 4 minutos

No Dia Mundial da Liberdade de Imprensa, comemorado nesta sexta-feira, 3, o levantamento anual feito pela organização não governamental (ONG) Repórteres Sem Fronteiras (RSF) mostra que o Brasil avançou dez posições no ranking que mede a liberdade para se reportar em 180 países. O País ocupa o 82º lugar, melhor marca alcançada nos últimos dez anos.

Segundo a organização, que elabora o estudo desde 2002, o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) obteve progressos na “normalização das relações com a imprensa”, após o fim do mandato de Jair Bolsonaro (PL). A Repórteres Sem Fronteiras classifica o período que compreende o governo passado como “de escalada de tensões” com a imprensa.

Durante o governo de Bolsonaro, ataques a jornalistas desempenhando sua função aumentaram pelo País, com casos de violência física e verbal, como mostrou o Estadão. O próprio então presidente limitava o acesso para a cobertura jornalística na Esplanada e motivava o confronto com veículos de comunicação.

Em 2021, o Brasil chegou a cair para a chamada “zona vermelha”, ocupada pelos países em “situação difícil”, quarto pior grupo do ranking, que fica atrás somente da “situação grave”, em cor preta.

No novo levantamento divulgado nesta sexta-feira, o Brasil permanece no grupo considerado “sensível”, mesmo em que estava nas edições de 2023 e antes de passar para a zona vermelha. No mesmo grupo, também estão sul-americanos como Argentina, Guiana, Chile e Uruguai, e países do norte global como Polônia, Itália e Estados Unidos.

A Argentina, país vizinho sob o comando de Javier Milei, caiu 26 posições no ranking das Américas, a pior queda da região. Na América Latina, os piores colocados são Cuba, Venezuela e Nicarágua, países sob regimes autoritários. Segundo a ONG, o problema da região está concentrado na cobertura de assuntos relacionados com o crime organizado, a corrupção e o meio ambiente, que podem acarretar sérias represálias aos profissionais de imprensa.

Os outros grupos são os com situação “relativamente boa”, onde figuram países como Alemanha, França e Costa Rica, e “boa situação” no topo, com Noruega, Dinamarca e Suécia liderando o ranking. (Veja lista completa abaixo.)

O levantamento foi feito entre os meses de dezembro e janeiro e contou com 120 perguntas feitas para milhares de pessoas, que responderam sobre a situação de seu próprio país. O índice, que é a pontuação final que organiza o ranking, é feito a partir de cinco indicadores que envolvem questões políticas, sociais e econômicas.

O relatório divulgado pela organização faz um recorte especial que considera 2024 como ano eleitoral, uma vez que mais da metade da população comparecerá às urnas, afirma a Repórteres Sem Fronteiras.

“Os Estados e as forças políticas, independentemente de suas tendências políticas, desempenham cada vez menos um papel na proteção da liberdade de imprensa. Essa falta de responsabilização às vezes caminha de mãos dadas com um questionamento do papel dos jornalistas, ou mesmo a instrumentalização dos meios de comunicação em campanhas de assédio ou desinformação”, afirmou a organização.

No mundo, dos cinco indicadores, o que mais caiu na atual edição foi o político, com queda global de 7,6 pontos. Para a ONG, essa pontuação mostra que “a liberdade de imprensa está ameaçada pelas mesmas pessoas que deveriam ser os seus garantidores: as autoridades políticas”. Em três quartos dos países considerados no ranking, a maioria dos respondentes relata o envolvimento regular de políticos em campanhas de desinformação.

Confira o ranking de liberdade de imprensa em 180 países, considerando do melhor para o pior colocado:

– Noruega

– Dinamarca

– Suécia

– Países Baixos

– Finlândia

– Estônia

– Portugal

– Irlanda

– Suíça

– Alemanha

– Luxemburgo

– Letônia

– Lituânia

– Canadá

– Liechtenstein

– Bélgica

– Tchéquia (República Tcheca)

– Islândia

– Nova Zelândia

– Timor Leste

– França

– Samoa

– Reino Unido

– Jamaica

– Trinidad e Tobago

– Costa Rica

– Taiwan

– Suriname

– Eslováquia

– Espanha

– Moldávia

– Áustria

– Mauritânia

– Namíbia

– República Dominicana

– Macedônia do Norte

– Seychelles

– África do Sul

– Austrália

– Montenegro

– Cabo Verde

– Eslovênia

– Armênia

– Ilhas Fiji

– Tonga

– Itália

– Polônia

– Croácia

– Romênia

– Gana

– Uruguai

– Chile

– Costa do Marfim

– Belize

– Estados Unidos

– Gabão

– Maurício

– Gâmbia

– Bulgária

– Libéria

– Ucrânia

– Coreia do Sul

– Malaui

– Serra Leoa

– Chipre

– Argentina

– Hungria

– OECO (Organização dos Estados do Caribe Oriental)

– Congo-Brazzaville

– Japão

– Comores

– Andorra

– Malta

– Nepal

– Kosovo

– República Centro-Africana

– Guiana

– Guiné

– Botsuana

– Níger

– Bósnia-Herzegóvina

– Brasil

– Panamá

– Catar

– Eswatini

– Burkina Faso

– Tailândia

– Grécia

– Benin

– Chipre do Norte

– Papua-Nova Guiné

– Guiné-Bissau

– Haiti

– Senegal

– Zâmbia

– Chade

– Tanzânia

– Sérvia

– Albânia

– Madagascar

– Israel

– Quênia

– Geórgia

– Angola

– Moçambique

– Maldivas

– Malásia

– Burundi

– Mongólia

– Equador

– Indonésia

– Nigéria

– Togo

– Mali

– Paraguai

– Zimbábue

– Brunei

– Tunísia

– Colômbia

– Quirguistão

– México

– Lesoto

– Congo

– Bolívia

– Peru

– Cingapura

– Guiné Equatorial

– Uganda

– Marrocos / Saara Ocidental

– Camarões

– Kuwait

– Jordânia

– El Salvador

– Filipinas

– Hong Kong

– Sudão do Sul

– Omã

– Guatemala

– Argélia

– Líbano

– Etiópia

– Casaquistão

– Líbia

– Ruanda

– Somália

– Honduras

– Butão

– Usbequistão

– Sudão

– Sri Lanka

– Camboja

– Paquistão

– Laos

– Iêmen

– Tajiquistão

– Venezuela

– Palestina

– Turquia

– Índia

– Emirados Árabes Unidos

– Djibuti

– Rússia

– Nicarágua

– Azerbaijão

– Bangladesh

– Arábia Saudita

– Bielorrússia

– Cuba

– Iraque

– Egito

– Birmânia

– China

– Bahrein

– Vietnã

– Turcomenistão

– Irã

– Coreia do Norte

– Afeganistão

– Síria

– Eritreia

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

Boulos põe Haddad na campanha e faz ‘disputa de marcas’ com Nunes

JOELMIR TAVARESSÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O pré-candidato à Prefeitura de São Paulo Guilherme Boulos (PSOL) ampliou as menções ao legado do que chama de gestões progressistas já eleitas na capital e incorporou à pré-campanha o ex-prefeito Fernando Haddad (PT), hoje ministro da Fazenda, com quem fará um evento nesta sexta-feira (24). Apoiado pelo presidente

Tarcísio quer policiais controlando gravações de câmeras corporais; especialista vê retrocesso

O edital lançado pelo governo de São Paulo para substituir e ampliar o número de câmeras corporais da Polícia Militar prevê que a gravação poderá ser iniciada e finalizada pelos agentes durante as ocorrências. Atualmente, a captação das imagens ocorre de forma ininterrupta. A Secretaria da Segurança Pública informou que o edital levou em consideração

Rodrigo Pacheco pode virar ministro de Lula

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Rodrigo Pacheco pode virar ministro de Lula em 2025 após deixar comando do Senado. Auxiliares do presidente e aliados do senador iniciaram conversas para possível entrada do parlamentar no governo. O mandato de Pacheco no Senador vai até o fim deste ano.