Cruzeiro chega a Nova York com baleia de 13 metros morta na proa

Publicado em

spot_img
Tempo estimado de leitura: < 1 minuto

Um navio de cruzeiro chegou ao porto de Nova Iorque, nos Estados Unidos, com uma baleia morta presa em sua proa, conforme relataram autoridades marítimas citadas pela agência de notícias Associated Press (AP).

O animal, que media 13 metros de comprimento, foi identificado como uma baleia-sei, uma espécie ameaçada de extinção. Ele ficou preso na proa do MSC Meraviglia ao chegar ao porto de Brooklyn no sábado, informou a porta-voz da Administração Oceânica e Atmosférica Nacional, Andrea Gomez.

“As autoridades competentes foram imediatamente notificadas e estão conduzindo exames na baleia”, afirmaram funcionários da empresa de cruzeiros MSC Cruises em um comunicado.

A empresa de transporte expressou profunda tristeza pela perda de qualquer vida marinha e garantiu que cumpre regulamentos para proteger baleias, inclusive alterando itinerários para evitar colisões com os animais.

A baleia passou por uma autópsia na terça-feira, e amostras foram coletadas para determinar se estava viva ou morta quando foi atingida pelo navio.
 
 

Leia Também: Chuva de peixes surpreende ooradores de Yasuj, no Irã; entenda

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

Mulher queima roupas do ex-marido após descobrir relação com melhor amiga

Uma mulher de 50 anos fez uma fogueira com roupas do ex-marido, após ter descoberto que o homem mantinha uma relação extraconjugal com a sua melhor amiga - e antiga cunhada. Rhian Templeton ateou fogo a uma montanha de ternos, camisas, casacos e calças pertencentes ao seu ex-marido, que estavam na garagem da casa onde

De Lula 1 a Lula 3, Brasil busca cavar espaço global em tensão com os EUA

FERNANDA PERRINWASHINGTON, EUA (FOLHAPRESS) - A maior projeção global buscada pelo Brasil desde os anos 2000 tem provocado com frequência tensões com o governo dos Estados Unidos, numa fase em que a hegemonia alcançada nos anos 1990 começa a ser questionada por seguidas crises econômicas e geopolíticas. Do lado brasileiro, a explicação predominante para esses

Lucy Letby não pode recorrer da condenação por assassinato de sete bebês

A enfermeira Lucy Letby, que assassinou sete bebês e tentou matar outros seis enquanto trabalhava na unidade neonatal do Hospital Countess of Chester, entre junho de 2015 e junho de 2016, no Reino Unido, viu a autorização para recorrer da sua condenação ser negada. A mulher - que foi condenada a 14 penas de prisão