Hamas deixa Egito após negociações de trégua em Gaza e diz que ‘bola está com Israel’

Publicado em

spot_img
Tempo estimado de leitura: 2 minutos


ismailhaniyeh

O Hamas informou nesta sexta-feira (10) que sua delegação havia deixado o Egito, após participar de negociações sobre uma trégua na Faixa de Gaza, e ressaltou que “a bola está com Israel“. “A delegação negociadora deixou o Cairo rumo a Doha. A ocupação negou a proposta apresentada pelos mediadores, que havíamos aceitado. Consequentemente, a bola está agora totalmente com a ocupação”, diz o Hamas em carta enviada a outras facções palestinas. O veículo egípcio ‘Al Qahera News’, próximo do serviço de inteligência daquele país, reportou que as delegações do Hamas e de Israel haviam deixado o Cairo, após dois dias de negociações. Os esforços de Egito, Catar e Estados Unidos como mediadores dessas negociações indiretas “continuam, para aproximar as posições das duas partes”, ressaltou o veículo, citando uma fonte do alto escalão egípcio.

Na última segunda-feira, o Hamas havia aceitado uma proposta apresentada pelos mediadores, que, segundo um representante do movimento, estabelece uma trégua de três fases, cada uma com duração de 42 dias, e inclui a retirada de Israel da Faixa de Gaza e uma troca de reféns sequestrados pelo Hamas por presos palestinos em Israel, a fim de alcançar “um cessar-fogo permanente”.

Israel respondeu que a proposta está longe das suas exigências e reiterou sua oposição a um cessar-fogo permanente até obter uma vitória completa sobre o Hamas, que, assim como os Estados Unidos e a União Europeia, classifica como terrorista. O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, disse que havia orientado sua delegação no Cairo a “continuar se mostrando firme sobre as condições necessárias para a libertação de reféns” e essenciais para a segurança de Israel.

*Com informações da AFP

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

Ataque a campo de refugiados de Gaza foi ‘incidente trágico’, diz Netanyahu

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, afirmou que o ataque de Israel ao campo de refugiados de Rafah foi "incidente trágico". Ao menos 45 pessoas morreram. Premiê afirmou que ataque a Rafah será investigado. Ao Parlamento de Israel, Netanyahu afirmou que o país retirou "um milhão de moradores que não

Israel é criticado por comunidade internacional por ataque em Rafah, e EUA pedem precauções para proteger os civis

A Casa Branca disse estar impactada com o bombardeio israelense em Rafah, na Faixa de Gaza, que deixou ao menos 45 pessoas mortas, e pediu para que Israel tome precauções para proteger os civis. “Deixamos claro que Israel deve tomar todas as precauções possíveis para proteger os civis”, disse um porta-voz do Conselho de Segurança

Macron apela por uma Europa forte e soberana, visando ‘defesa e segurança’ diante da ameaça russa

O presidente francês, Emmanuel Macron, fez um apelo na Alemanha, nesta segunda-feira (27), para que se tenha uma Europa mais forte e soberana como garantia da paz, prosperidade e democracia, em um momento que o velho continente atravessa “um momento sem precedentes na sua história” e, diante da ameaça russa, deve pensar na sua própria