Paralisação de professores de Guaratinga por pagamento atrasado do 13º salário

Publicado em

Tempo estimado de leitura: < 1 minuto

O protesto da classe de profissionais que recebem através do Fundo Nacional da Educação Básica (FUNDEB) saíram às ruas para cobrar o pagamento da gratificação natalina, também conhecida como 13º salário.

O prazo para o pagamento desse benefício terminou no último dia 20 de dezembro, segundo definição em lei. Além desse atraso, o salário dos agentes comunitários de saúde e de dos agentes de endemias também estaria sem pagamento.

A manifestação foi anunciada e seguiu pelas ruas da cidade até a sede da Prefeitura de Guaratinga.

A prefeita do município, Christine Pinto, está viajando. Por meio de nota, confirmou o atraso no pagamento do 13º salário dos professores, justificando que a gestão municipal não conseguiu fazer o pagamento da gratificação natalina dos professores por falta de dinheiro em caixa.

“Ressaltamos que estamos fazendo o possível para que a referida pendência seja sanada o mais rápido possível e para tal, aguardamos apenas a definição do Governo Federal quanto à data da realização do Aporte Financeiro aos Municípios (AFM) prometido ainda em Novembro de 2017, ou outro Recurso Federal que possa ser usado para esse fim”, afirmou.

.

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

Esquerda diverge sobre pedir prisão de Bolsonaro e evita Paulista para manifestação

(FOLHAPRESS) - Movimentos e partidos de esquerda decidiram vetar o mote da prisão de Jair Bolsonaro (PL) como bandeira de uma manifestação que foi marcada para 23 de março, quase um mês depois do ato que reuniu milhares de apoiadores do ex-presidente na avenida Paulista no último domingo (25). A proposta de defender a prisão

Cármen Lúcia: ‘Brasil não pode ficar a cada governo tendo um soluço antidemocrático ambiental’

Em discussão no plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a chamada "pauta verde", a ministra Cármen Lúcia disse, nesta quinta-feira, 29, que o governo Lula avançou nas medidas de política ambiental. Mas, a magistrada não reduziu as exigências feitas ainda durante a gestão do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL). Em 2022, quando a pauta entrou

PF indicia Carla Zambelli e hacker da Lava Jato por invasão ao sistema do CNJ

A Polícia Federal (PF) concluiu a investigação sobre a invasão dos sistemas do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) com o indiciamento da deputada Carla Zambelli (PL-SP) e do hacker Walter Delgatti. Eles podem responder pelos crimes de invasão de dispositivo informático e falsidade ideológica. O relatório final da Polícia Federal afirma que documentos apreendidos com