Pesquisa Metrópoles/Ideia: Ibaneis tem 30% das intenções de voto para o GDF; Reguffe, 10,6%

Publicado em

Tempo estimado de leitura: 3 minutos

O governador Ibaneis Rocha (MDB) lidera a intenção de votos dos eleitores do Distrito Federal na disputa pelo Palácio do Buriti, com 30%, de acordo com a pesquisa Metrópoles/Ideia divulgada nesta quarta-feira (18/5).

O levantamento é o primeiro de uma série de nove encomendados pelo Metrópoles ao Instituto Ideia. As pesquisas para aferir a preferência do eleitorado brasiliense serão divulgadas até a véspera do segundo turno. Além da disputa pelo GDF, haverá sondagens para os cargos de presidente da República e senador.

Em segundo lugar na corrida pelo cargo de governador do DF, aparece o senador José Antônio Reguffe (União Brasil), apontado por 10,6% dos eleitores. A deputada federal Flávia Arruda (PL) está em terceiro, com 8,5%.

Como a margem de erro é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos, Flávia está tecnicamente empatada com Reguffe. Porém, a parlamentar é oficialmente pré-candidata ao Senado.

Confira o resultado da pesquisa Metrópoles/Ideia:

O ex-secretário de Educação do DF Rafael Parente (PSB) e a senadora Leila do Vôlei (PDT) têm, cada um, 6% das intenções de voto.

O senador Izalci Lucas (PSDB) soma 5,4%; enquanto o deputado distrital Leandro Grass (PV) é apontado por 2,9% dos eleitores, seguido por Keka Bagno (PSol), com 1,3%.

Os pré-candidatos a governador pelo Partido dos Trabalhadores (PT) Geraldo Magela e Rosilene Corrêa pontuaram na pesquisa com 1,3% e 1,1% das intenções de voto, respectivamente.

Lucas Salles (DC) e João Vicente Goulart (PCdoB) foram escolhidos, cada um, por 0,2% dos eleitores.

Faltando menos de cinco meses para o primeiro turno, 19,3% dos entrevistados ainda não sabem em quem vão votar.

Em contrapartida, 7,4% disseram que votarão em branco ou nulo.

A pesquisa é estimulada, ou seja, os entrevistados escolheram entre os nomes apresentados em uma lista contendo aqueles que já manifestaram interesse em disputar o GDF em 2022.

O governador Ibaneis Rocha (MDB) é pré-candidato à reeleição. Ele se elegeu em 2018 durante sua primeira campanha eleitoral José Antônio Reguffe (União Brasil) é senador pelo Distrito Federal. Ele já foi deputado federal e deputado distrital Flávia Arruda é filiada ao Partido Liberal (PL). Deputada federal atualmente, ela quer concorrer a senadora nas eleições de 2022 Rafael Parente é ex-secretário de Educação do DF. Ele é pré-candidato a governador pelo PSB Leila Barros, eleita como Leila do Vôlei, é pré-candidata a governadora pelo PDT. Leila se elegeu senadora nas eleições de 2018 Izalci Lucas (PSDB) é senador pelo DF. Ele já foi deputado federal e secretário do DF. �? pré-candidato a governador O deputado distrital Leandro Grass (PV) é pré-candidato a governador Keka Bagno é o nome do PSol para concorrer a governador do DF. Em 2018, ela foi candidata a vice-governadora na chapa encabeçada por Fátima Sousa O ex-deputado federal e distrital Geraldo Magela é pré-candidato a senador pelo PT Rosilene Corrêa é diretora do Sindicato dos Professores no Distrito Federal (Sinpro). Ela é filiada ao PT Lucas Salles é o pré-candidato a governador do DF pelo DC João Vicente Goulart quer disputar as eleições para governador do DF pelo PCdoB 0 Rejeição A pesquisa Metrópoles/Ideia também aferiu a rejeição entre os candidatos. O resultado é o seguinte: o governador Ibaneis Rocha tem 28,6%; o ex-deputado federal, Geraldo Magela (PT) soma 19,9% e a deputada federal Flávia Arruda, 13,6%.

A senadora Leila do Vôlei é rejeitada por 12,4%, enquanto o ex-secretário de Educação Rafael Parente não seria votado por 11,4% do eleitorado. Keka Bagno (PSol) tem rejeição de 8,9% dos eleitores.

O senador José Antônio Reguffe tem 8,3%. Logo atrás dele, está o também senador Izalci Lucas, que é rejeitado por 7,8% do eleitorado do DF.

Rosilene Corrêa (PT) não é opção para 6,9% dos eleitores; e 5,6% disseram que não votariam de jeito nenhum no deputado distrital Leandro Grass (PV) para governador.

Lucas Salles (DC) e João Vicente Goulart (PCdoB) são rejeitados por 4% e 3,3% dos eleitores, respectivamente.

A pesquisa indica também que 11,9% dos eleitores não rejeitam ninguém; 1,4% não escolheria nenhum dos nomes; e 20,3% não souberam responder.

Pesquisa Foram entrevistadas 1.200 pessoas de 16 anos ou mais, com Título de Eleitor, em todas as regiões administrativas do Distrito Federal, entre os dias 11 e 16 de maio.

A pesquisa quantitativa foi realizada com aplicação de questionário estruturado, por meio de inquérito telefônico, com plano amostral e ponderação quanto a sexo, idade, grau de instrução e nível econômico do entrevistado.

A margem de erro é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos, considerando um nível de confiança de 95%. 

A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número DF-09593/2022. 

O post Pesquisa Metrópoles/Ideia: Ibaneis tem 30% das intenções de voto para o GDF; Reguffe, 10,6% apareceu primeiro em Metrópoles.

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

Padilha diz que governo trabalha para liberar parte dos R$ 5,6 bi em emendas vetados por Lula

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Responsável pela articulação política do governo, o ministro-chefe da Secretaria de Relações Institucionais, Alexandre Padilha (PT), afirmou nesta segunda-feira (22) que trabalha em uma proposta para liberar parte dos R$ 5,6 bilhões em emendas de comissão vetados pelo presidente Lula (PT). "Estamos construindo uma proposta de poder ajustar, até a sessão

Lula diz que é preciso criar um telefone para as pessoas reclamarem do governo

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) disse nesta segunda-feira, 22, que o governo precisa criar um telefone para que as pessoas possam "se queixar se as coisas não estão acontecendo". A declaração ocorreu no lançamento do programa Acredita, um pacote de medidas que prevê crédito e renegociação de dívidas para os pequenos negócios

É muito importante que Congresso aprove lei das fake news e lei que regula IA, diz Lewandowski

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Ricardo Lewandowski, defendeu a aprovação do projeto de lei das fake news, que regula a atuação das plataformas digitais no País, e o da regulamentação da Inteligência Artificial. "A mim me parece muito importante que Congresso aprove lei das fake news e a lei que regula Inteligência Artificial