Cleitinho diz estar ‘decepcionado’ com Zema: ‘Foi ingrato comigo’

Publicado em

Tempo estimado de leitura: 2 minutos

Pré-candidato ao Senado, o deputado estadual Cleitinho Azevedo (PSC) não esconde a decepção com Romeu Zema (Novo). O parlamentar crê que o governador mineiro poderia ter escolhido apoiá-lo na disputa por um assento na Câmara Alta do Congresso Nacional e, nesta quarta-feira (3/8), garantiu que, ao contrário de 2018, não vai “abraçar” a campanha de Zema.

“(O governador) foi ingrato comigo”, disse, durante participação no podcast “EM Entrevista”, da editoria de Política do Estado de Minas.

Embora avalie positivamente a gestão de Zema, o pré-candidato mostrou descontentamento com a postura do chefe do Executivo estadual, que vai apoiar o deputado federal Marcelo Aro (PP) na disputa rumo ao Senado.

Em 2018, os então candidatos à Assembleia Legislativa e ao governo cumpriram juntos agendas de campanha no berço político de Cleitinho, Divinópolis, no Centro-Oeste mineiro

“Levei ele à cidade, dei a cara para bater. Foi um pouco de falta de gratidão comigo nem me chamar para conversar – comigo liderando pesquisas para o Senado. Estou um pouco decepcionado. Não que isso vá durar, pois não guardo mágoas, peço perdão e sei perdoar”, protestou. “Eu o apoiei quando ninguém acreditava nele”, pontuou.

Sem conseguir o apoio de Zema, Cleitinho preparava uma candidatura independente. Ontem, no entanto, acertou caminhar ao lado do presidente Jair Bolsonaro (PL) e de Carlos Viana, também filiado ao PL e candidato a governador.

“Como ele (Zema) não me abraçou, não tem porque eu abraçá-lo. Mas não deixo de reconhecer o trabalho dele”, explicou. Apesar das críticas, o deputado garantiu não se opor à atual gestão. “O governo dele, para mim, é melhor que o dos outros”.

  • Leia também: Cleitinho Azevedo garante apoio a Bolsonaro: ‘Não sou traíra’

‘Retaliação’

Quando conseguiu um dos 77 assentos na Assembleia Legislativa, quatro anos atrás, Cleitinho concorreu pelo PPS – hoje batizado Cidadania. Seu partido, à época, tinha aliança com Antonio Anastasia, então filiado ao PSDB e um dos rivais de Zema no páreo.

“O Cidadania me deu uma retaliação dizendo que não seria candidato se continuasse apoiando Zema, porque o partido estava coligado ao PSDB para apoiar Anastasia”, lembrou.

Na mais recente pesquisa do Instituto F5 Atualiza Dados, Cleitinho aparece com 12,7% das intenções de voto para o Senado, ante 9,2% de Alexandre Silveira (PSD). Ele ainda é tratado como pré-candidato porque a convenção do PSC, que tende a oficializá-lo na disputa, só vai ocorrer na sexta-feira (5).

O levantamento eleitoral citado neste texto está registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob os números MG-09704/2022 e BR-05714-2022.

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

É muito importante que Congresso aprove lei das fake news e lei que regula IA, diz Lewandowski

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Ricardo Lewandowski, defendeu a aprovação do projeto de lei das fake news, que regula a atuação das plataformas digitais no País, e o da regulamentação da Inteligência Artificial. "A mim me parece muito importante que Congresso aprove lei das fake news e a lei que regula Inteligência Artificial

Bolsonaro quer replicar atos pelo Brasil, e aliados devem manter Moraes na mira

(FOLHAPRESS) - O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) quer replicar em outras cidades do país os atos que já ocorreram em Copacabana, no Rio, e na avenida Paulista, em São Paulo. A ideia, segundo aliados, é fazer uma manifestação no Sul, outra no Nordeste e uma em Brasília. A próxima deve ser em Joinville (SC), possivelmente

Só governadores do PL foram ao ato de Bolsonaro em Copacabana

Não foi apenas o público ontem que esteve abaixo de outros atos promovidos por Jair Bolsonaro. O peso do palanque também diminuiu em Copacabana em relação às manifestações anteriores promovidas pelo ex-presidente. Ao decidir usar sua presença para promover candidaturas do PL às próximas eleições municipais, Bolsonaro não conseguiu levar ao Rio governadores que estiveram