Justiça abre investigação sobre racismo e convoca Vini para depor

Publicado em

Tempo estimado de leitura: 2 minutos

Vini Jr foi homenageado em partida do Real Madrid

A Justiça de Valência, na Espanha, abriu nesta sexta-feira (26) uma investigação para apurar a prática de crime de ódio contra o atacante Vinícius Júnior, vítima de racismo no Estádio Mestalla, durante duelo entre Valencia e Real Madrid, no último domingo (21). O brasileiro e três torcedores identificados como autores dos insultos racistas foram convocados para prestar depoimento. O jogador irá depor por videochamada, ainda sem data definida.

Além disso, foi feito um pedido para que o clube valenciano indique seguranças que trabalharam na partida e possam testemunhar. A Justiça também solicitou o material audiovisual produzido no dia do duelo a partir do minuto 72, momento em que a partida é paralisada após Vinir Jr. apontar um dos responsáveis pelo ataque racista na arquibancada.

O brasileiro foi chamado de “macaco”, em coro, por torcedores do Valencia. Depois da partida, posicionou-se combativamente nas redes sociais e cobrou a LaLiga, associação responsável pela organização do Campeonato Espanhol, pela ineficácia em coibir manifestações racistas.

O presidente da entidade, Javier Tebas, chegou a rebater o jogador, dizendo que ele estava mal informado, mas mudou o discurso após a repercussão negativa e anunciou que pedirá uma mudança na lei espanhola, com o objetivo de dar a LaLiga mais autonomia para punir a discriminação nos estádios do país.

Os três torcedores identificados foram detidos na última terça-feira, mas acabaram soltos e estão respondendo em liberdade. O Valencia, por sua vez, foi punido com o fechamento de um dos setores de seu estádio por cinco jogos e considerou a sanção “injusta e desproporcional”.

Após recurso acatado pela Real Federação Espanhola de Futebol (RFEF), contudo, a pena foi reduzida para três partida. Também há uma multa, que inicialmente era de 45 mil euros e caiu para 27 mil.

Também na terça-feira, foram presas quatro pessoas acusadas de terem colocado um boneco representando Vini Jr. enforcado em uma ponte de Madri, em janeiro, antes do dérbi entre Atlético e Real O quarteto também foi solto e está sendo investigado por crime de ódio.

image

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

São Paulo continuará pagando R$ 400 mil por mês a Daniel Alves mesmo após condenação; entenda

O jogador Daniel Alves, que recebeu a sentença de quatro anos e seis meses de prisão em regime fechado por agressão sexual na Espanha nesta quinta-feira, 22, deve continuar recebendo R$ 400 mil por mês do São Paulo Futebol Clube mesmo após a condenação. O jogador teve uma passagem pelo clube entre 2019 e 2021

Flávio Dino empossado como novo ministro do Supremo Tribunal Federal

O Supremo Tribunal Federal, a partir desta quinta-feira (22), volta a trabalhar com a sua composição completa. Foi empossado como o mais novo ministro da Corte o ex-ministro da Justiça, ex-governador do Maranhão, ex-deputado e ex-senador Flávio Dino.    Indicado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva e aprovado pelo Senado, Flavio Dino é o

Polícia francesa investiga PSG por suspeitas de irregularidades relacionadas a Neymar

A polícia francesa realizou buscas na sede do Paris Saint-Germain (PSG) em meados de fevereiro, em meio a suspeitas de irregularidades fiscais relacionadas à contratação do atacante brasileiro Neymar, em 2017. As informações foram reveladas por interlocutores do clube nesta quinta-feira, 22, ao jornal Le Monde e confirmada por autoridades. Em resposta, um porta-voz do PSG