Justiça do Trabalho indefere petição de Matheus Tenório contra o Vitória; jogador cobrava R$ 400 mil

Publicado em

Tempo estimado de leitura: < 1 minuto

A 10ª Vara do Trabalho de Salvador indeferiu uma petição do meia Matheus Tenório contra o Esporte Clube Vitória. Revelado pela base, o atleta cobrava R$ 400 mil do clube. 

 

A decisão, publicada no dia 27 de abril deste ano, diz que o processo foi extinto sem resolução do mérito porque a parte reclamante – o atleta – não apresentou a procuração, documento necessário para dar seguimento ao caso. 

 

“O ajuizamento do feito sem o instrumento procuratório torna o ato inexistente”, escreve o juiz Cassio Meyer Barbuda. 

 

Tendo em vista o valor pedido por Tenório, ele teria de arcar com o ônus de R$ 8 mil. No entanto, lhe foi concedido o benefício da Justiça gratuita. O processo já está transitado em julgado desde 28 de abril, portanto não cabe recurso. Ele foi arquivado em 2 de maio.

 

O meia chegou a atuar pela equipe profissional do Vitória em 10 partidas no ano de 2020. Seu contrato foi rescindido em 30 de abril de 2023. 

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

Sala da Advocacia é reinaugurada na sede do TCE-BA

A Ordem dos Advogados do Brasil Seção Bahia (OAB-BA), em parceria com o Tribunal de Contas do Estado da Bahia (TCE-BA) e o Tribunal de Contas dos Municípios da Bahia (TCM-BA), reinaugurou a Sala da Advocacia no TCE-BA.    O espaço, reaberto na última segunda-feira (22), é destinado ao acolhimento e trabalho dos jurisdicionados, advogadas

Presidente da CBF nega pedido de CPI para suspender o Brasileirão: “A competição é limpa”

Em investigação do Supremo Tribunal Federal (STF) que julga a permanência do presidente da CBF Ednaldo Rodrigues nesta quarta-feira (24), o mandatário da Confederação reiterou que não vai paralisar o Brasileirão por causa do pedido feito pelo presidente da CPI da Manipulação das Apostas Esportivas, Jorge Kajuru.   "A CBF não trabalha de forma alguma com

Morte em bacia de contenção: Justiça do DF cobra segurança e controle

A morte de um homem, aos 26 anos, por afogamento no bacia de contenção do Sol Nascente, em 13 de abril de 2024, acendeu a luz de alerta para a segurança nas represas do Distrito Federal. Porém, antes mesmo da tragédia, em 2023, a Defensoria Pública do DF (DPDF) ajuizou ação cobrando fiscalização, manutenção e