Justiça determina que gravadora indenize herdeiros de João Gilberto em R$ 150 milhões

Publicado em

Tempo estimado de leitura: 2 minutos

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – O processo do cantor e compositor João Gilberto contra a EMI Records ganhou um novo parecer nesta terça-feira (17). Conforme acórdão divulgado pela 14ª Câmara De Direito Privado (Antiga 9ª Câmara Cível) da Justiça do Rio de Janeiro, o quarto Laudo Pericial do caso foi homologado e, com isso, foi fixada uma indenização contra a gravadora no valor de R$ 150 milhões. A decisão ainda cabe recurso.

A ação contra a EMI foi aberta em 1997, quando João Gilberto – falecido em 2019 – fez um pedido de indenização por danos morais, em razão da remasterização não autorizada de músicas em CDs. Em março de 2022, o STJ também afirmou que as fitas originais, solicitadas por Gilberto, poderiam seguir em posse da gravadora.

Ao F5, o advogado Leonardo Amarante, que responde por Luisa, uma das filhas e herdeiras de Gilberto, explica que o valor de R$ 150 milhões foi determinado a partir de um laudo pericial. Por ele ter sido validado com a decisão desta terça, as discussões são encerradas já que o documento foi produzido por um expert considerado imparcial pela lei.

“Caberia recurso ao STJ, mas, de acordo com o nosso entendimento e a lei, a batalha judicial está praticamente finalizada, já que todos os fatos foram analisados e a discussão sobre eles foi encerrada no julgamento de hoje, não podendo ser retomada em sede de recurso especial”, afirma Amarante.

O laudo anterior indicava que a reparação deveria ser de R$ 13 milhões, mas a defesa da família denunciou à Justiça que a EMI teria fraudado o cálculo. O acórdão desta terça valida este ponto com notas fiscais irregulares.

A Universal Music, que responde pela antiga EMI Records, foi procurada pelo F5 e não respondeu ao pedido de posicionamento até a publicação desta reportagem.

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

‘Falou coisas sem provar, mas não tenho rancor’, diz Ximbinha sobre Joelma

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Mágoa? O guitarrista Ximbinha, 50, afirma que, em relação a Joelma, 49, com quem foi casado por 18 anos, essa palavra não existe. Com ela, formou a banda Calypso, que fez sucesso no páis todo entre 1999 a 2015. Em entrevista à reportagem, o músico concorda em falar sobre a

Silvio Almeida: não se pode admitir oportunismo no caso de Marajó

Nesta sexta-feira (23/2), o ministro dos Direitos Humanos, Silvio Almeida, negou que o governo do presidente Lula (PT) tenha cancelou as ações, políticas e projetos voltados à Ilha do Marajó, no Pará. Segundo ele, não se pode admitir que oportunistas se aproveitem da situação para desinformar e criar “pânico moral”. “O que a gente não

Após vencer prova em dupla ao lado de Isabelle, Beatriz é a nova líder do ‘BBB 24’

Sister já indicou seus quatro alvos para o Paredão a ser formado no próximo domingo (25) Reprodução/@BBB Esta é a primeira liderança da sister Beatriz no Big Brother Brasil 2024 A paulistana Beatriz Reis e a amazonense Isabelle Nogueira foram a dupla vencedora da décima prova do Líder do Big Brother Brasil 2024 nesta sexta-feira