Argentina não interfere na Justiça de outro país, diz chanceler de Milei sobre STF e Musk

Publicado em

spot_img
Tempo estimado de leitura: 2 minutos

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) – A ministra das Relações Exteriores da Argentina, Diana Mondino, afirmou nesta segunda-feira (15) que seu governo jamais vai interferir em processos judiciais de outros países.

A declaração ocorreu após Mondino ser questionada sobre o encontro, na semana passada, do presidente argentino, Javier Milei, com o bilionário Elon Musk. Na ocasião, segundo a assessoria de Milei, o líder argentino “ofereceu colaboração” no conflito entre o empresário, dono da rede social X (antigo Twitter), e ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) no Brasil.

“Os temas internos e posições de cada país são próprios de cada país. O governo argentino jamais vai interferir nos processos democráticos ou judiciais de cada país. Confiamos na Justiça de cada país, nós defendemos a liberdade de expressão de todos”, declarou Mondino.

A fala ocorreu no Palácio do Itamaraty, em Brasília, onde Mondino realizou uma reunião com o chanceler Mauro Vieira.

Presidente da Tesla, Musk é ídolo da direita bolsonarista. O bilionário é ainda referência para líderes da direita radical no mundo. Nos últimos dias, recebeu Milei, que também é aliado de Bolsonaro e tem no ex-presidente dos EUA Donald Trump uma inspiração

Musk protagonizou um recente embate com o ministro do STF Alexandre de Moraes.

O bilionário defendeu o impeachment de Moraes, chegou a chamá-lo de ditador do Brasil e reclamou das decisões do Supremo que tiraram do ar perfis na rede X. O magnata também afirmou que derrubaria as restrições impostas pelo Judiciário do país.

“Como @alexandre se tornou o ditador do Brasil? Ele tem Lula em uma coleira”, escreveu o empresário em 8 de abril, na rede social, junto com um emoji de risada.

Ele disse ainda que Moraes tirou “Lula da prisão” e influenciou na eleição, ecoando discurso de apoiadores de Bolsonaro, e que por isso o atual mandatário não se opõe ao magistrado.

Os ataques de Musk contra Moraes provocaram uma reação dos demais ministros do STF. Além do mais, Moraes incluiu o empresário como investigado no inquérito das milícias digitais.

O presidente da corte, Luís Roberto Barroso, divulgou nota para afirmar que decisões judiciais podem ser objetos de recursos, mas jamais de descumprimento deliberado. Já o ministro Edson Fachin disse à Folha que descumpri-las é “subversão da ordem”.

O episódio serviu ainda para que aliados de Lula renovassem a defesa pela regulação das redes sociais e das bigs techs no país.

O próprio Lula se envolveu na troca de farpas e disse que Elon Musk nunca produziu “um pé de capim no Brasil”.

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

Chefe de gabinete de Javier Milei renuncia na Argentina após dias de especulação

BUENOS AIRES ARGENTINA (FOLHAPRESS) - Após dias de especulação sobre conflitos internos, o chefe de gabinete do governo de Javier Milei na Argentina, Nicolás Posse, renunciou ao cargo na noite desta segunda-feira (27). Sua principal função era coordenar os trabalhos em conjunto dos ministérios. Em comunicado, a Casa Rosada disse brevemente que a saída de

‘Dia triste para os EUA’, diz Trump antes das alegações finais em seu julgamento

Donald Trump, ex-presidente dos Estados Unidos declarou nesta terça-feira (28) que o processo penal no qual é réu “nunca deveria ter ocorrido” e descreveu esta terça-feira, o dia de alegações finais, como um “dia obscuro para os Estados Unidos”. “Hoje é um dia obscuro para os Estados Unidos. Este caso nunca deveria ter ocorrido”, afirmou

Bilionário dos EUA planeja viagem de submersível aos destroços do Titanic

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - O investidor imobiliário e bilionário Larry Connor, dos Estados Unidos, disse que planeja ir ao local onde estão os destroços do Titanic para provar que a viagem é segura, mesmo após a implosão "catastrófica" do submersível Titan, da OceanGate, há quase um ano. Na ocasião, todos os cinco ocupantes morreram.