Califórnia faz projeto de lei para obrigar big techs a remunerar veículos de notícias

Publicado em

spot_img
Tempo estimado de leitura: 2 minutos

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Está avançando na Califórnia um projeto de lei que pode obrigar grandes empresas de tecnologia -como Google e Meta, dona do Facerbook e do Whatsapp- a remunerar veículos de notícias cada vez que exibirem trechos de artigos ou apresentarem links dos sites nos resultados de pesquisa ou nas redes sociais.

Segundo o jornal The Washington Post, mais de 350 empresas de notícias assinaram uma carta apoiando o projeto de lei, como o Los Angeles Times e o San Francisco Chronicle.

Em resposta, as big techs passaram a pressionar intensamente o governo para que o projeto seja derrubado, afirmando que a lei criaria um “imposto sobre links” e acabaria com o livre fluxo de informações na internet.

Apresentado na Assembleia da Califórnia em fevereiro de 2023, o projeto foi aprovado em junho e aguarda votação no Senado estadual desde então. Ainda não há previsão para a discussão.

O Google, em resposta à discussão, bloqueou a exibição de links de notícias de jornais locais do estado americano nos resultados de pesquisa para alguns californianos.

A empresa disse em publicação no seu blog oficial que se trata de um “teste de curto prazo”, mas não informou quantas pessoas estão sendo afetadas.

Para políticos e veículos jornalísticos, essa atitude configuraria abuso de poder. Eles afirmam ainda que demonstra que um projeto de lei para regulamentar a atividade é necessário e que uma grande empresa como o Google não pode agir livremente desta maneira.

A Meta também se opôs e afirmou que bloqueará todos os links de notícias em suas plataformas se o projeto for aprovado.

Desde que a Austrália implementou esse tipo de medida em 2021, outros países passaram a aprovar legislações semelhantes ou ao menos discutir o assunto. Na Austrália, a lei rendeu uma remuneração de US$ 200 milhões para veículos de mídia que empregam 85% dos jornalistas do país.

Em março deste ano, porém, a Meta anunciou que iria deixar de pagar às empresas por conteúdo que aparece no Facebook, estabelecendo uma nova batalha com a capital Canberra.

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

Expectativa de vida mundial volta para patamar de 2012 por causa da Covid-19

Quatro anos depois de a Covid-19 ser declarada uma pandemia pela Organização Mundial da Saúde (OMS), um novo relatório foi divulgado, trazendo à luz o profundo impacto que a doença teve na expectativa de vida em todo o mundo. De acordo com o informe anual da OMS, houve uma redução significativa na expectativa de vida

Balanço da Nvidia indica que euforia com inteligência artificial está longe de acabar

A Nvidia superou a estimativa de lucros pelo sexto trimestre consecutivo e registrou nova receita recorde, segundo balanço publicado na noite da quarta-feira, 22. O analista Louis Navellier, da gestora Navellier, disse que a companhia fechou a temporada de resultados trimestrais dos fabricantes de processadores "com chave de ouro". As ações da Nvidia subiram 6,06%

Futuro da IA? “Provavelmente, nenhum de nós terá emprego”, diz Musk

O dono da Tesla, da SpaceX, da rede social X e também da Neuralink, Elon Musk, participou no evento Vive Tech em Paris, França, onde teceu algumas previsões sobre o futuro e como a sociedade se adaptará à chegada da Inteligência Artificial (IA) - no que diz respeito ao mercado de trabalho. “Num cenário benigno