Pr. Gilmar Fiuza prega hoje no Gideões

Publicado em

spot_img
Tempo estimado de leitura: < 1 minuto

Começou no último sábado (20) a 39ª edição do Gideões Missionários da Última Hora (GMUH) e quem prega nesta segunda-feira (22) é o pastor Gilmar Fiuza.

Belemita e já conhecido na lista de pregadores do Gideões, Fiuza é um dos nomes que mais atraem a audiência do congresso na transmissão do YouTube.

Seu nome teria sido incluído na lista de pregadores pelo próprio presidente, pastor Zilmar Miguel.

Na terça, quem prega no Gideões à noite é o pastor Elizeu Rodrigues, outro assembleiano que costuma movimentar o evento.

The post Pr. Gilmar Fiuza prega hoje no Gideões appeared first on Fuxico Gospel.

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

Milton Leite teve ‘papel juridicamente relevante na execução dos crimes’ da Transwolff, diz Promotoria

ROGÉRIO PAGNANSÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Na investigação sobre a possível infiltração do PCC no transporte público da capital, promotores do Gaeco (grupo de combate ao crime organizado) afirmam que o presidente da Câmara de São Paulo, Milton Leite (União Brasil), teve "papel juridicamente relevante na execução dos crimes sob apuração" envolvendo a Transwolff. Os

Bolsonaro critica fala de Lula sobre ‘irresponsabilidade’ de Israel em Gaza

O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) criticou o atual ocupante do cargo, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), pela postura adotada diante do conflito entre Israel e o grupo terrorista Hamas. Durante evento em Guarulhos no sábado, 25, o petista pediu solidariedade às mulheres e crianças "que estão morrendo na Palestina por conta da irresponsabilidade do

Julgamento de Sérgio Moro: PT e PL não vão recorrer ao STF; entenda o motivo

Autores das ações que pediram a cassação do senador Sérgio Moro (União-PR), a Federação Brasil da Esperança, que inclui o PT, do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e o PL, do ex-presidente Jair Bolsonaro, não vão apresentar recursos ao Supremo Tribunal Federal (STF). Nesta terça-feira, 21, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu, por unanimidade