Trump enfrenta primeiro julgamento criminal na segunda-feira

Publicado em

spot_img
Tempo estimado de leitura: 3 minutos


b1a15382b7ddeb0a6749d9862e2b5b670e31d3ee

O ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, enfrenta na segunda-feira (15) o primeiro julgamento criminal de uma série que ele irá responder ao longo do ano. O julgamento diz respeito ao pagamento para evitar um escândalo sexual. Trump é convocado ao Supremo Tribunal do Estado de Nova York a partir das 09h30 (hora local, 10h30 no horário de Brasília) de segunda-feira, para responder às acusações de falsificação de documentos comerciais da Trump Organization, a sua empresa familiar. Segundo a acusação, o republicano escondeu o pagamento de 130 mil dólares (660 mil reais na cotação atual) na reta final da campanha presidencial de 2016 à ex-atriz pornô Stormy Daniels para manter silêncio sobre uma relação sexual extraconjugal que tiveram dez anos antes e que Trump sempre negou. Nem a relação extraconjugal nem o pagamento constituem um problema judicial, mas é crime ter tentado ocultar o reembolso do montante inicialmente pago pelo seu então advogado pessoal, Michael Cohen – atualmente seu inimigo jurado – disfarçando isso como despesas legais.

cta_logo_jp

O republicano confirmou sua presença no julgamento. “Eu vou testemunhar. Vou dizer a verdade. Ou seja, a única coisa que posso fazer é dizer a verdade e a verdade é que não há um caso”, respondeu Trump aos jornalistas em sua mansão no estado da Flórida quando perguntado se não considerava arriscado prestar depoimento diretamente no julgamento. Para o promotor distrital de Manhattan, Alvin Bragg, eleito para o cargo pela chapa democrata, foi “uma conspiração para fraudar a eleição presidencial e mentir em documentos comerciais para encobri-la”.

A defesa sustenta que os pagamentos responderam a uma tentativa de extorsão, a acusação pretende mostrar que Donald Trump orquestrou dois outros pagamentos financeiros para encobrir assuntos embaraçosos e que os eleitores americanos foram enganados quando venceu as eleições presidenciais de 2016 contra Hillary Clinton. Acusado há um ano de 34 acusações de prestação de declarações falsas, cada uma delas punível com até 4 anos de prisão, Donald Trump declarou-se inocente e sente-se vítima de uma “caça às bruxas” dos democratas para impedi-lo de voltar à Casa Branca.

trump e justiça

O julgamento acontece em plena campanha eleitoral para as eleições presidenciais de novembro. A pouco menos de sete meses das urnas, o bilionário republicano pode enfrentar uma pena de prisão, situação inédita que levanta muitas questões sobre a campanha e o seu provável duelo com o atual inquilino da Casa Branca, Joe Biden. De acordo com várias pesquisas, alguns eleitores americanos (32% de acordo com uma pesquisa Ipsos de março) estariam menos inclinados a votar em Donald Trump se ele fosse considerado culpado.

Trump, que sobreviveu a dois julgamentos de impeachment durante seu mandato na Casa Branca (2017-2021) e foi dado como “politicamente morto” diversas vezes, viu seus problemas judiciais se acumularem no último ano. Até agora, este ano, ele foi condenado a pagar indenizações e multas no valor de mais de 500 milhões de dólares (2,5 bilhões de reais) por difamar uma ex-jornalista que o acusou de estupro e por inflacionar colossalmente o valor dos ativos da Trump Organization.

*Com informações da AFP

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

Míssil que transportava satélite espião da Coreia do Norte explode no ar

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - O míssil lançado pela Coreia do Norte em direção ao Japão explodiu no ar. Governo norte-coreano diz que o lançamento do satélite "falhou" após um defeito no motor do foguete. Imagens da rede japonesa NHK mostram o projétil em chamas no nordeste da China. Míssil explodiu minutos após o lançamento.

Israel prossegue com ofensiva e envia tanques ao centro de Rafah

Bombardeios israel enses em Rafah mataram pelo menos 21 civis palestinos nesta terça-feira (28), segundo dados do ministério da Saúde de Gaza, que é controlado pelo grupo terrorista Hamas. Os bombardeios ocorrem em meio a intensos combates na cidade do sul do enclave palestino. Uma operação militar israel ense realizada no inicio de maio fez com que quase um milhão de civis palestinos fugissem de Rafah, cidade que abrigou muitos palestinos nos últimos meses da guerra por conta dos combates no norte e no centro de

Espanha, Irlanda e Noruega reconhecem oficialmente Estado da Palestina

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Espanha, Irlanda e Noruega reconheceram oficialmente, nesta terça-feira (28) o Estado da Palestina, quase uma semana depois de anunciar conjuntamente a decisão, que provocou uma crise dos países europeus com Israel. A medida foi encabeçada pelo governo da Espanha, cujo primeiro-ministro, o socialista Pedro Sánchez, é um dos líderes mais