Quem é a neta de banqueiro filiada ao PT que denunciou Moro ao MPE

Publicado em

Tempo estimado de leitura: 3 minutos

São Paulo �?? O Ministério Público Eleitoral (MPE) encaminhou à Polícia Federal, nessa segunda (16/5), uma apuração sobre eventual fraude na mudança de domicílio eleitoral do ex-ministro Sergio Moro (União), do Paraná para São Paulo. O caso chegou ao MPE por meio de uma representação feita por Roberta Moreira Luchsinger.

Herdeira e empresária, Luchsinger se destacou no passado por ter prometido doações vultosas ao ex-presidente Lula (PT), além de ter concorrido a deputada federal pelo Partidos dos Trabalhadores e ter sido casada com o ex-delegado Protógenes Queiroz, responsável pela Operação Satiagraha. Agora, é pré-candidata novamente a deputada federal �?? desta vez, concorrerá pelo PSB.

Roberta Luchsinger Roberta Luchsinger Roberta Luchsinger Roberta Luchsinger Roberta Luchsinger 0 Em suas redes sociais, Roberta diz que �??luta pelo desenvolvimento social, pelo acesso rápido à saúde pública, pela educação alimentar nas escolas e pelos direitos das mulheres�?�.

Em entrevista ao Metrópoles, ela chamou Sergio Moro de um �??oportunista eleitoreiro�?� e disse que o que motivou sua representação no MPE foi a notícia de que ele estava morando em um flat.

�??Todo mundo sabe que o Moro nasceu em Maringá e mora em Curitiba. Quando eu vi ele querendo sair candidato a presidente, deputado, senador, nem sei mais o que, por São Paulo, morando em um hotel, eu percebi �??isso é errado�??. O Moro já é uma pessoa imoral. Falei com a advogada [Maíra Recchia], ela concordou comigo, nós fizemos uma representação�?�, conta.

Para Roberta, �??não cola�?� a justificativa de que o ex-juiz possui vínculos políticos e sociais com São Paulo e que já estava morando aqui desde o ano passado. �??O problema do Moro agora é com a Polícia Federal. Quem com a PF fere, com a PF será ferido�?�, brinca.

Doações a Lula e dívida na Justiça Roberta tem 37 anos e é neta do ex-banqueiro suíço Peter Paul Arnold Luchsinger, que morreu em 2017. Naquele ano, ela ganhou fama por ter prometido doar dinheiro e itens de luxo (um relógio Rolex, uma bolsa de grife e um anel de diamantes) a Lula, que tivera seus bens bloqueados pelo então juiz Moro. Ao todo, a doação somava R$ 500 mil.

Mas a promessa expôs contradições no padrão de vida da empresária. Está em fase de execução na Justiça um processo no qual Roberta deve R$ 248 mil por não pagar o condomínio de seu apartamento em Higienópolis, bairro nobre da capital paulista.

Ela chegou a firmar acordos para pagar a dívida, mas não chegou a cumpri-los. Por isso, o processo de cobrança segue.

No ano passado, Roberta informou que não tinha bens que poderiam ser utilizados para pagar a dívida, mas o juiz determinou que fossem penhorados seus artigos de luxo, como joias e bolsas de grife. Em abril deste ano, a Justiça autorizou que um perito avalie as obras de arte que ela possui, a fim de verificar quanto valem.

Nas eleições de 2018, quando postulou uma vaga de deputada estadual, ela informou à Justiça Eleitoral o apartamento como seu único bem, avaliado em R$ 1,5 milhão.

Pré-candidata A empresária diz que sempre se considerou uma pessoa de esquerda, e que é ligada à política desde jovem.

�??Quem luta pelas causas que eu luto é uma pessoa de esquerda. Quem se envolve em causas sociais e vai lá para o fundão, que realmente vai trabalhar, que luta por toda a defesa das minorias, enfrentamento de preconceitos de gênero, raça, social, não tem como desvincular isso da esquerda�?�, diz.

Ela foi casada por três anos com um político: seu ex-marido é o ex-deputado federal e ex-delegado Protógenes Queiroz, responsável pela Operação Satiagraha, que foi deflagrada em 2008 e visava combater casos de corrupção e lavagem de dinheiro.

O término ocorreu, segundo Roberta, porque ela �??cansou de ser traída�?�, de acordo com entrevista concedida à revista Veja em 2014.

Com 22 mil seguidores no Instagram e 38 mil no Twitter, ela usa as redes como plataforma política, preparando há meses o terreno para sua candidatura de outubro. A representação contra Moro no MPE, inclusive, é explorada por ela na internet frequentemente.

Em 2018, ela se candidatou a deputada estadual de São Paulo pelo Partido dos Trabalhadores, mas não foi eleita. Neste ano, pretende se candidatar a deputada federal pelo PSB.

Roberta afirma ser �??movida pelo desejo da mudança, na vontade de ajudar na construção de um país melhor e mais justo�?�, e que sua candidatura �??nasce de um grupo que acredita em todas as minhas causas, de uma liderança feminina�?�.

�??Tudo o que eu venho fazendo e que já fiz me leva a querer buscar um mandato de deputada federal para poder gerar oportunidades para quem mais precisa e ajudar na reconstrução do nosso país, que hoje está em frangalhos. Você tem um país cujo presidente não respeita a população, não respeita ninguém, o que mais me motiva é o desafio dessa reconstrução�?�, falou.

Receba notícias do Metrópoles no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/metropolesurgente.

O post Quem é a neta de banqueiro filiada ao PT que denunciou Moro ao MPE apareceu primeiro em Metrópoles.

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

Padilha diz que governo trabalha para liberar parte dos R$ 5,6 bi em emendas vetados por Lula

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Responsável pela articulação política do governo, o ministro-chefe da Secretaria de Relações Institucionais, Alexandre Padilha (PT), afirmou nesta segunda-feira (22) que trabalha em uma proposta para liberar parte dos R$ 5,6 bilhões em emendas de comissão vetados pelo presidente Lula (PT). "Estamos construindo uma proposta de poder ajustar, até a sessão

Lula diz que é preciso criar um telefone para as pessoas reclamarem do governo

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) disse nesta segunda-feira, 22, que o governo precisa criar um telefone para que as pessoas possam "se queixar se as coisas não estão acontecendo". A declaração ocorreu no lançamento do programa Acredita, um pacote de medidas que prevê crédito e renegociação de dívidas para os pequenos negócios

É muito importante que Congresso aprove lei das fake news e lei que regula IA, diz Lewandowski

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Ricardo Lewandowski, defendeu a aprovação do projeto de lei das fake news, que regula a atuação das plataformas digitais no País, e o da regulamentação da Inteligência Artificial. "A mim me parece muito importante que Congresso aprove lei das fake news e a lei que regula Inteligência Artificial