Família de Danyanne diz que técnica de enfermagem temia pela vida

Publicado em

Tempo estimado de leitura: 2 minutos

A família da técnica de enfermagem Danyanne da Cunha Januário da Silva, 35 anos, ainda tinha esperança de encontrá-la com vida. Ao saber do falecimento da jovem mulher, parentes choraram muito. A moça era viúva e deixa dois filhos, duas crianças de 11 e 13 anos. Segundo parentes, ao longo das últimas semanas, ela teria dito repetidas vezes que temia pela própria vida.

Durante as investigações, a equipe da 29ª Delegacia de Polícia (Riacho Fundo) ouviu os relatos da família. �??Ela dizia que tinha muito medo da morte. Ela falava muito em morte�?�, contou a delegada-chefe Valma Milograna. Após a confirmação da morte, a família ficou despedaçada. �??Eles ainda tinham uma pequena esperança de que ela estivesse viva. Estavam temorosos, mas por ser parentes não tinham perdido a esperança�?�, pontou a delegada.

�??A mãe (de Danyanne) chorou muito. Ela deixa dois filhos e eles não têm pai�?�, completou a delegada. Viúva, a técnica de enfermagem criava sozinho dois meninos. Segundo relatos da família, ela era uma pessoa extremamente organizada.

Emboscada De acordo com a Polícia Civil, Danyanne trabalhava com agiotagem e um dos acusados do crime seria seu sócio. O homem estaria aplicando um golpe nela, simulando clientes falsos para pegar dinheiro da mulher. Segundo as investigações, apesar do receio pela própria vida, a técnica de enfermagem não suspeitava que estaria sendo vítima de um golpe dos parceiros de agiotagem e também não imaginava que seria alvo de uma emboscada.

Danyanne da Cunha morreu com um tiro à queima-roupa na cabeça, após cobrar dívida de um conhecido. Como revelou o Metrópoles, dois suspeitos estão presos. Um deles chama-se Ramon Santos Xavier.

Vídeo mostra momentos antes de técnica de enfermagem ser morta no DF

Ela atuava na Sala de Vacinas de Águas Claras e era considerada uma excelente profissional pelos colegas de trabalho. Em nota, o Sindicato dos Auxiliares e Técnicos em Enfermagem do Distrito Federal (Sindate-DF) lamentou o falecimento.

�??Neste momento de dor, a direção do Sindate manifesta os mais sinceros sentimentos à família, amigos e colegas de trabalho. Danyanne era querida e fará falta.�?�

O post Família de Danyanne diz que técnica de enfermagem temia pela vida apareceu primeiro em Metrópoles.

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

Só governadores do PL foram ao ato de Bolsonaro em Copacabana

Não foi apenas o público ontem que esteve abaixo de outros atos promovidos por Jair Bolsonaro. O peso do palanque também diminuiu em Copacabana em relação às manifestações anteriores promovidas pelo ex-presidente. Ao decidir usar sua presença para promover candidaturas do PL às próximas eleições municipais, Bolsonaro não conseguiu levar ao Rio governadores que estiveram

Diálogo com o Congresso continua e ofensa vinda de Lira é ‘episódio superado’, diz Padilha

O ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, reiterou que o diálogo entre o Planalto e o Congresso Nacional continua e disse que a tensão entre ele e o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL) é um "episódio superado". Em entrevista à CNN Brasil, Padilha foi questionado sobre o atrito entre ele e Lira

Aliados de Lula minimizam ato de Bolsonaro no Rio; STF, militares e Pacheco silenciam

(FOLHAPRESS) - Aliados e ministros do governo Lula (PT) minimizaram o impacto do ato de Jair Bolsonaro (PL) em Copacabana, no Rio de Janeiro, neste domingo (21). Alvos dessa manifestação, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), e Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal), optaram pelo silêncio. Integrantes do primeiro escalão do governo