TAGS

Saiba quem é Maxwell Simões, preso em operação que investiga a morte de Marielle

Publicado em

Tempo estimado de leitura: 2 minutos

Preso em uma operação da Polícia Federal que investiga o assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL) e do motorista Anderson Gomes, o ex-bombeiro Maxwell Simões Correa, conhecido como Suel, já havia sido detido, em 2020, e condenado a quatro anos de prisão “por atrapalhar de maneira deliberada” as investigações. Segundo as investigações do MP do Rio e da PF, no dia 13 de março de 2019, um dia depois das prisões dos ex-policiais Ronnie Lessa e Élcio de Queiroz, denunciados como autores dos crimes, Maxwell teria ajudado a ocultar armas de fogo de uso restrito e acessórios pertencentes a Ronnie, que estavam armazenados em um apartamento no bairro do Pechincha utilizado pelo ex-policial e em locais ainda desconhecidos. De acordo com a investigação, Maxwell cedeu o veículo utilizado para guardar o vasto arsenal bélico pertencente a Ronnie, entre os dias 13 e 14 de março de 2019, para que o armamento fosse, posteriormente, descartado em alto mar. Em 2020, foi detido sob acusação de tentar obstruir as apurações No ano seguinte, condenado em razão das mesmas imputações. “A obstrução de Justiça praticada pelo denunciado, junto aos outros quatro denunciados, prejudicou de maneira considerável as investigações em curso e a ação penal deflagrada na ocasião da operação ‘Submersus’, na medida em que frustrou cumprimento de ordem judicial, impedindo a apreensão do vasto arsenal bélico ali ocultado e inviabilizando o avanço das investigações. A arma de fogo utilizada nos crimes ainda não foi localizada em razão das condutas criminosas perpetradas pelos cinco denunciados, cabendo ressaltar que Maxwell ostentava vínculo de amizade com os acusados dos crimes e com os denunciados Josinaldo Lucas Freitas e José Márcio Mantovano”, ressaltou a nota oficial sobre a operação. A decisão foi proferida pelo Juízo da 19ª Vara Criminal da Comarca da Capital, informou o MPRJ, em nota à época. Um ano após a primeira prisão, em fevereiro de 2021, a Justiça condenou o ex-bombeiro a quatro anos de prisão. O juiz Carlos Eduardo Carvalho de Figueiredo, da 19ª Vara Criminal, autorizou o cumprimento da pena em regime aberto e determinou que Maxwell prestasse serviços à comunidade. Após ser citado como suspeito no caso Marielle Franco, Maxwell foi expulso do Corpo de Bombeiros do Rio, em maio do ano passado Ele foi alvo de um processo disciplinar. A defesa de Maxwell recorreu da decisão. Em janeiro deste ano, o juiz Bruno Monteiro Rulière, da 1ª Vara Especializada em Organização Criminosa da Comarca da Capital, atendeu a um dos pedidos pedido da defesa e converteu sua prisão preventiva em domiciliar por 30 dias. Segundo os advogados dele, o bombeiro precisava de uma cirurgia para a retirada de pedra na vesícula: “Como os dados produzidos conferem e há dificuldades acentuadas de tratamento de saúde no sistema prisional, excepcionalmente no presente caso, faz-se necessária a concessão de prisão domiciliar temporária, apenas e visando a realização do tratamento de forma particular, como forma de salvaguardar a vida, a saúde e a integridade física do réu”.
image

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

Zé Neto acusa prefeitura de Feira de não investir R$35 milhões em drenagem pluvial; verba seria contrapartida da Embasa

O deputado federal Zé Neto (PT) cobrou da prefeitura de Feira de Santana os investimentos na drenagem pluvial e fluvial de bairros da cidade. Em discurso no bairro Panorama, neste sábado (24), o parlamentar acusou a gestão de Colbert Martins de não investir os recursos de R$35 milhões destinados pela Embasa após a renovação da

Governo e cadeia produtiva elegem novo presidente da Câmara Setorial do Sisal da Bahia

Na tarde desta sexta-feira (23), durante a II Feira da Agricultura Familiar e Reforma Agrária (FEAAP), no distrito de Nova Palmares, em Conceição do Coité, aconteceu a primeira Reunião Ordinária da Câmara Setorial do Sisal, iniciativa conduzida pela Secretaria da Agricultura, Pecuária, Irrigação, Pesca e Aquicultura da Bahia (Seagri). O encontro congregou produtores, representantes de

Pássaros silvestres e jabutis são resgatados dentro de ônibus em Vitória da Conquista

Em uma ação de combate aos crimes contra o meio ambiente, agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) realizaram o resgate de aves silvestres e jabutis, em um trecho do município de Vitória da Conquista, na Região Sudoeste da Bahia. Os flagrantes ocorreram na última sexta-feira (23), em frente à unidade operacional da PRF.   Durante