Tiroteio com quadrilha que planejava roubo a transporte de valores deixa ao menos 18 pessoas mortas na África do Sul

Publicado em

Tempo estimado de leitura: < 1 minuto


assassinato na africa do sul

A polícia da África do Sul matou ao menos 18 pessoas durante um tiroteio na província de Limpopo, no nordeste do país. Os falecidos eram suspeitos de planejar um assalto a um caminhão de transporte de valores. “Assim que a polícia se aproximou, o grupo de suspeitos começou a atirar, e a polícia contra-atacou. Dezesseis homens e duas mulheres foram declarados mortos no local”, afirmou a polícia sul-africana em um comunicado. O tiroteio durou aproximadamente 90 minutos e também deixou um agente “gravemente ferido”, detalhou à imprensa o delegado-geral da força, Fannie Masemol, em Makhado, 400 km a nordeste de Johannesburgo. A polícia monitorava a movimentação dos suspeitos há alguns dias, depois de ter iniciado uma investigação em janeiro com a ajuda da unidade de inteligência do país. “Nossa intenção era detê-los antes que saíssem para cometer o crime”, disse Masemola. Os ataques a carros-forte são habituais na África do Sul, que tem uma das taxas de criminalidade mais altas do mundo. No ano passado, dez suspeitos morreram em outro tiroteio com a polícia depois que abriram fogo contra um helicóptero da força de ordem e feriram um dos pilotos. O ministro da Polícia, Bheki Cele, afirmou, em maio, que os roubos de dinheiro em espécie tiveram um “aumento persistente” de mais de 20%, com 64 denúncias nos três primeiros meses do ano.

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

Índia proíbe venda de algodão doce por possuir substância cancerígena

Alguns estados da Índia estão proibindo a venda de algodão doce. O motivo? Um estudo concluiu que o produto possui uma substância cancerígena, a Rodamina-B. No início deste mês, o território da união de Puducherry proibiu a venda do doce, enquanto outros estados começaram a testar amostras do mesmo. Na semana passada, foi a vez

Mãe de Navalny vê corpo do filho e denuncia pressão para enterro ‘secreto’

A mãe do opositor russo Alexei Navalny afirmou nesta quinta-feira, 22, que conseguiu ver o corpo do filho, que morreu na semana passada em uma prisão do Ártico, mas denunciou a “chantagem” para enterrar “secretamente” o homem que era o principal opositor do presidente russo, Vladimir Putin. “Estão me chantageando. (…) Querem que tudo seja feito

Navio bate, derruba ponte e mata ao menos 5 na China

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Cinco pessoas morreram após a colisão de uma embarcação com uma ponte na região de Guangzhou, no sul da China. Parte da estrutura colapsou, e veículos que transitavam caíram na água, segundo autoridades. O navio porta-contêineres navegava entre as cidades de Foshan e Guangzhou e bateu na ponte Lixinsha às