“Uma emboscada”, diz jornalista ao denunciar diretora da Record TV

Publicado em

spot_img
Tempo estimado de leitura: 3 minutos

Depois de denunciar ter sido assediado pelo diretor de Recursos Humanos da Record TV, Márcio Santos, o jornalista Elian Matte registrou uma nova queixa, desta vez contra Angelica Balbin, da direção do programa de Roberto Cabrini, Câmera Record. “Armaram uma emboscada”, disse com exclusividade para a coluna Fábia Oliveira.

O profissional, que estava afastado do trabalho presencial e atuando em home office, após ser diagnosticado com Síndrome de Burnout, um distúrbio emocional com sintomas de exaustão extrema, estresse e esgotamento físico resultante do excesso de trabalho, afirmou ter sido enganado pela moça, que queria, na verdade demiti-lo às escondidas.

“Ela [Angelica Balbin] me chamou pra uma reunião hoje à tarde, dizendo que precisava conversar comigo sobre mudanças na Record, que não podia se aprofundar mais sobre o assunto. Como eu não queria entrar na redação, por conta do que passei lá, propus que o encontro fosse numa sala discreta, somente nós dois. Ela concordou”, explicou.

Matte prosseguiu: “Chegando lá, ela falou que estava me desligando. Veio uma pessoa do RH, com uma papelada, pedindo pra eu assinar. Mas eu não assinei, pois fui orientado de que não poderiam me demitir até julho, porque estou em tratamento de saúde, justamente, por causa da Record”.

Segundo Elian, por conta do Burnout, o próprio canal declarou o acidente de trabalho, depois do laudo de um médico, em 21 de julho de 2023, perdurando até 2024. Na ocasião, ele foi perseguido por Márcio e teve sua genitália fotografada pelo profissional, delatando Santos publicamente, que foi indiciado pela Polícia Civil e teve o contrato com o canal encerrado.

Elian Matte acredita que o episódio foi uma retaliação por tonar o caso público: “A mulher do RH me prendeu na sala, botou o pé na porta. Eu tive que puxar a porta com força pra poder sair. Elas me colocaram numa situação constrangedora, que eu nunca passei. Elas fizeram uma emboscada. Me chamaram dizendo que era uma reunião, apenas eu e a Angelica, e era pra fazer a demissão”.

E continuou: “Totalmente diferente porque, eu acho que, no mínimo, depois de tudo que eu passei lá, era pra ter respeito. Se tivesse que me demitir, era pra ser um processo mais cuidadoso, se possível fora da TV, que fosse por telefone. Eu não sei. Mas não da maneira como foi”.

Matte ainda apontou que o maior problema foi a dispensa durante um período em que não poderiam desligá-lo. “[Não é possível] demitir uma pessoa que está em tratamento de saúde, com vários relatórios médicos, dentro de uma da estabilidade”, reforçou.

Elian Matte finalizou a conversa exclusiva com esta colunista revelando que concluíram a dispensa. “Já me desligaram. Eu estou sem acesso a todo o sistema. Então, eu vejo que foi uma retaliação pela denúncia de assédio sexual que eu fiz. Infelizmente uma retaliação”, encerrou.

De acordo com o comunicador, um boletim de ocorrência foi registrado na delegacia, onde acusa Angelica Balbin por assédio moral. Eita!

Denúncia de assédio

O jornalista Elian Matte registrou um boletim de ocorrência contra o diretor do setor de RH da Record TV, Márcio Santos. O rapaz afirma ter sido vítima de assédio sexual por parte do profissional. O documento é datado de 14 de novembro de 2023.

“Sou roteirista do programa do Cabrini e, desde o ano passado, venho sendo alvo de assédio sexual por arte do diretor de RH da Record, Márcio Santos. São pedidos insistentes para sair e apesar das minhas negativas, continuou com conversas no WhatsApp onde pergunta o tamanho do meu órgão genital, onde diz que tem ciúmes doentio por mim e que precisa de ajuda médica”, dizia um trecho do boletim.

O jornalista chegou a contar que, com medo de ser demitido da empresa, cedeu ao diretor por um período. No entanto, a situação teria piorado quando Márcio passou a usar a estrutura da Record para monitorar o que Elian Matte fazia por lá.

“Com medo de ser demitido (até pelo cargo que ele ocupa), eu até cedi por um período, tinha medo de cortá-lo e ser dispensado. Mas tudo piorou quando começou a usar a estrutura da TV para me monitorar. Pelas câmeras de segurança da redação, aproximava a câmera no volume da minha calça e perguntava se eu estava de ‘pau duro’. Fez isso por diversas vezes”, declarou.

Ainda no boletim de ocorrência, Elian Matte relatou que Márcio pediu que ele chegasse perto de seu carro no estacionamento pois o sequestraria. “Reclamou que eu não retribuía pornografias, que eu só enrolava, pois não topava sair com ele. Em uma das mensagens pediu para que eu não chegasse perto do carro dele no estacionamento, pois me sequestraria”, falou.

O jornalista da Record TV também explicou que pediu ajuda médica a uma clínica do Grupo Record e foi diagnosticado com burnout. No entanto, teve o atestado alterado após a médica ser ameaçada pelo setor de RH.

“Tive crises fortes de burnout, procurei ajuda com a médica da Hadassah (clínica do Grupo Record). Ela me afastou, me diagnosticou com burnout, emitiu um atestado com o CID da doença. Uma semana depois, a médica me envia mensagens dizendo que foi ameaçada pela direção e precisa me enviar um novo atestado modificado, pois era proibido o diagnóstico de burnout. Estou com os atestados alterados. Houve quebra de sigilo médico, alguém do RH ameaçou a médica”.

 

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

Empresa pede apreensão em imóvel de ministro por dívida de campanha

O ministro da Secretaria de Relações Institucionais, Alexandre Padilha, foi alvo no mês passado de um pedido à Justiça para que o apartamento da Câmara que ele ocupa tivesse bens apreendidos para pagar uma dívida da campanha de 2014. Ainda não há decisão sobre o caso, que tramita no Tribunal de Justiça de São Paulo.

Mulher é encontrada morta após provocar e levar soco de torcedor do Bahia

O corpo de Sione Matos dos Santos, de 46 anos, foi encontrado dentro de casa, na noite desta segunda-feira (27), na localidade do Bairro da Paz, em Salvador. Informações preliminares apontam que ela teria sido agredida em um bar na noite de domingo (26), após brincar com um homem sobre a eliminação do Bahia na

Doações a ONG teriam sido usadas em campanha defendida por Dallagnol

Em conversas que integram os documentos da Operação Spoofing, obtidas por meio de um ataque hacker, Bruno Brandão, diretor da organização não governamental (ONG) Transparência Internacional (TI) Brasil, de combate à corrupção, trocou mensagens com o ex-procurador Deltan Dallagnol (foto em destaque), em 2017, sobre uma possível doação à instituição que teria parte revertida em prol