Criminosos se passam por assessor da Amab e cobram transferência de valores

Publicado em

spot_img
Tempo estimado de leitura: < 1 minuto

Um dos assessores jurídicos da Associação dos Magistrados da Bahia (Amab), Marcelo Nogueira foi vítima de um golpe no WhatsApp. Em nota, a Amab confirma que criminosos estão se passando pelo advogado, entrando em contato clientes e solicitando a transferência de valores. 

 

Segundo a associação, os suspeitos estão utilizando o número (71) 99917-6045 para tentar aplicar o golpe. “É fundamental esclarecer que o Dr. Marcelo não alterou o seu número de telefone e não entrou em contato com qualquer cliente para discutir esse assunto”, alerta a entidade. 

 

Ainda no comunicado, a Amab destaca que não há cobrança de valor por parte da justiça ou de bancos para levantamento de Requisição de Pequeno Valor (RPV) ou liberação de precatórios. “Pedimos a atenção de todos os associados para que estejam cientes dessas práticas fraudulentas”, diz. 

 

Em casos de golpe, a Amab orienta entrar em contato pelo número (71) 3555-3099 ou diretamente com os advogados responsáveis, Lucas Moreno e Sarah Bulhões.

 

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

Sites de pornografia são processados por advogados brasileiros devido à exploração sexual infantil

Os sites de conteúdo pornográfico PornHub e XVideos estão sendo processados por um grupo de advogados formado por seis alunos e dois professores da faculdade de direito da Fundação Getúlio Vargas (FGV). A ação foi protocolada na manhã desta sexta-feira (17) e pede que as empresas, que são sediadas na República Tcheca e Luxemburgo, expliquem

Julgamento de Sergio Moro no TSE é suspenso; entenda

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Alexandre de Moraes, suspendeu na quinta-feira (16) o julgamento do processo que pode levar à cassação do senador Sergio Moro (União-PR). A causa para o adiamento foi uma sessão do Supremo Tribunal Federal (STF) que estava marcada para a tarde do mesmo dia.   A audiência do TSE

Santo André: juiz suspende compra de área por R$ 67 mi pela prefeitura

São Paulo — A Justiça paulista suspendeu, em caráter liminar (provisório), uma lei da gestão do prefeito de Santo André, Paulo Serra (PSDB), que previa a desapropriação de um terreno ocupado por cerca de 500 famílias pelo valor de R$ 67 milhões na cidade da Grande São Paulo. Na decisão, da última quarta-feira (15/5), o