Lula critica �??mundo de mentiras�?? criado por Dallagnol e chama ex-procurador de �??fedelho�??

Publicado em

Tempo estimado de leitura: < 1 minuto

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) participou nesta terça-feira, 9, de uma sabatina na Federação das Indústrias o Estado de São Paulo (Fiesp) e falou sobre o ex-procurador Deltan Dallagnol (Podemos-PR) �?? que foi condenado pelo Tribunal de Contas da União pelo pagamentos irregulares de diárias, passagens e gratificações a membros da Operação Lava Jato. No local, o petista chamou o jurista de �??fedelho�?? e o acusou de criar um �??mundo de mentiras�?? que impediu o Brasil de se tornar a terceira maior indústria petroquímica do mundo. �??Qual é a indústria de engenharia que a gente tem hoje no país? Quantos anos a gente levou para construir uma indústria de engenharia que competia com os Estados Unidos? Que fazia as obras em Nova York, o aeroporto de Miami? Que estava tomando o mercado dos americanos no mundo árabe e na África? Cadê? Acabou. Em nome de quem? Em nome de que honestidade? De que corrupção?�?�, questionou. O líder nas pesquisas para intenção de voto aproveitou o espaço para defender suas propostas de recuperação econômica, incentivos à indústria e geração de empregos no setor. Lula foi o quarto presidenciável a participar do ciclo de debates realizado na Fiesp. Além do petista, seu candidato a vice, Geraldo Alckmin (PSB), e seu coordenador do plano de governo da chapa presidencial, Aloizio Mercadante (PT), estiveram presentes.

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

Rui Costa minimiza ato de Bolsonaro e diz que ex-presidente confessou crimes cometidos

O ministro da Casa Civil, Rui Costa, avaliou que o ato do ex-presidente Jair Bolsonaro na Avenida Paulista no domingo, 25, ficou aquém do que foi divulgado pelos organizadores. Em sua avaliação, contudo, a surpresa foi em relação ao conteúdo das falas do ex-chefe do Executivo, o que o ministro analisa como uma confissão de

Entenda o que é a anistia pedida por Bolsonaro e seu significado histórico

"O que eu busco é uma pacificação. É passar uma borracha no passado." Com essa introdução, o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), investigado por suposta tentativa de golpe de Estado pela Polícia Federal (PF), pediu anistia "para aqueles pobres coitados presos em Brasília", em seu discurso na tarde deste domingo, 25, no ato na Avenida Paulista.

600 mil ou 185 mil? Entenda as estimativas de público no ato pró-Bolsonaro na Paulista

O ato convocado pelo ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) neste domingo, 25, reuniu milhares de manifestantes na Avenida Paulista. As principais estimativas quanto ao público presente divergem entre si: a Secretaria de Segurança Pública (SSP) afirma que 600 mil pessoas estiveram na via e, se considerados os presentes na região adjacente à Paulista, a projeção vai