Gabriel Azevedo diz que vai pedir proteção à PM para 14 aliados por ameaças

Publicado em

Tempo estimado de leitura: 2 minutos
O vereador Gabriel Azevedo (sem partido) afirmou, na noite desta sexta-feira (1/9), que vai pedir proteção da Polícia Militar para 14 parlamentares da Câmara Municipal de Belo Horizonte (CMBH). De acordo com o também presidente da Casa, os aliados de Azevedo têm sido ameaçados e coagidos desde que o pedido de abertura do processo de cassação foi recebido pelo plenário. A primeira sessão que abriria o processo contra Azevedo foi adiada para segunda-feira (4/9). Na noite desta sexta, o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) suspendeu o eventual afastamento do vereador durante o processo.
Durante coletiva de imprensa, o parlamentar acusou dois ex-vereadores cassados nos últimos anos de serem responsáveis pelas coações contra os aliados dele. “Eu quero destacar dois personagens que ligaram para esses vereadores com ameaças. O ex-vereador Wellington Magalhães e o  ex-vereador Léo Burguês. Temos aqui as ligações em todos os telefones e mensagens para confirmar”, afirmou o atual presidente da Câmara.
Além disso, o parlamentar alegou que vai pedir ao vice-governador de Minas Gerais, Mateus Simões (Novo), para apurar uma suposta “ameaça” sofrida pelo advogado do vereador. Azevedo afirmou que seu representante legal foi procurado por um “secretário do governo de Estado” e questionado se esse ficaria “contra ele”. 
A reportagem procurou o ex-vereador Léo Burguês, o governo de Minas e o vice-governador, mas até a publicação desta matéria nenhum dos mencionados havia se pronunciado. 

‘Interferência do Executivo’

Entre as acusações feitas na noite desta sexta-feira, Gabriel Azevedo também afirmou que o prefeito de Belo Horizonte, Fuad Noman (PSD), teria procurado diversos vereadores para “oferecer cargos públicos” e “vantagens financeiras”. Segundo o parlamentar, o motivo da procura teria sido que esses votassem a favor da cassação do presidente da CMBH. 
“O senhor prefeito conversou com um empresário ligado ao partido Novo ameaçando este empresário, que se os três vereadores do partido, caso não se posicionassem a favor da Prefeitura, ele iria prejudicar esse empresário. O senhor prefeito está agindo de maneira incompatível com o cargo”, afirmou Gabriel Azevedo. 
A reportagem procurou  o prefeito Fuad Noman que, via assessoria de imprensa, disse que não vai comentar as acusações.

image

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

Bolsonaro chega acuado a ato e busca demonstrar força política contra investigações

MARIANNA HOLANDA E GABRIELA BILÓBRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Jair Bolsonaro (PL) aposta mais uma vez numa manifestação na avenida Paulista, em São Paulo, para tentar demonstrar seu capital político. Neste domingo (25), o ex-presidente tem como principal objetivo apresentar um retrato de que mantém apoio popular e, dessa forma, reagir ao avanço das investigações sobre

Influenciador português que entrevistou Bolsonaro diz ter sido detido pela PF no Brasil

O influenciador português Sérgio Tavares, que recentemente entrevistou o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) em uma live em seu canal no YouTube, postou um vídeo em seu perfil no X (antigo Twitter) em que diz ter sido detido pela Polícia Federal (PF) no Aeroporto de Guarulhos (GRU) ao desembarcar no Brasil, na manhã deste domingo, 25.

Em último ato na Paulista, Bolsonaro chamou Moraes de canalha e atacou urnas e o STF

O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) deve discursar na tarde deste domingo, 25, em um ato convocado após ele se tornar alvo de investigação sobre tentativa de golpe de Estado. A manifestação vai ocorrer na Avenida Paulista, em São Paulo, uma via pública conhecida como palco de atos políticos - e não será a primeira vez