Justiça autoriza despejo de empresário de hotel de luxo em Trancoso

Publicado em

spot_img
Tempo estimado de leitura: 2 minutos

O empresário Ricardo Nobre, um dos arrendatários do luxuoso hotel “Villa dos Nativos Boutique”, em Trancoso, distrito de Porto Seguro, está enfrentando um momento difícil, sendo alvo de um processo de despejo devido à falta de pagamento de uma outrora pousada, onde, hoje, o hotel funciona. O proprietário da antiga pousada, atualmente com problemas de saúde, solicitou a ação de despejo por meio de seu advogado, Thiago Pugliese.

O arrendamento da pousada, hoje um hotel de luxo, existe há cerca de três anos, e a comunidade local espera por um desfecho positivo do pleito. Na última terça-feira (23.01), o juiz Fernando Machado Paropat deferiu o pedido de despejo apresentado, determinando que a parte ré desocupe o imóvel em um prazo de 15 dias, sob pena de desocupação forçada.

Segundo informações, o empresário Ricardo Nobre, também é acusado de não pagar os aluguéis durante o trâmite do processo, o que levou à decisão desfavorável. No entanto, até o momento, o mesmo não foi localizado para comentar sobre a decisão. Entre os moradores da região, corre o boato de que ele tenha fugido.

Esta situação tem gerado um grande impacto na comunidade local, pois o “Villa dos Nativos Boutique”, que foi construído e gerenciado por Roberto, proprietário do imóvel, é visto como um importante empreendimento turístico, que movimenta a economia da região e gera empregos diretos e indiretos. Além disso, o hotel que sempre foi bem visto na cidade, hoje é alvo de críticas e indignações dos moradores pela sua condução e direção de forma leviana causando prejuízos às pessoas envolvidas com o empreendimento e seu entorno. Roberto e a comunidade local, inclusive o sócio do empresário caloteiro, lamentam o caos que o empresário criou para um empreendimento celebrado e respeitado pela comunidade e turistas. ” aluguei o empreendimento para um sócio desse cidadão, uma pessoas responsável e que, inclusive, hoje, defende o despejo decretado pela justiça, devido aos desmandos praticados por esse empresário irresponsável”, comentou Roberto.

A expectativa é que esse impasse seja resolvido de forma satisfatória para o proprietário, possibilitando que o hotel continue a operar normalmente e contribua para o desenvolvimento da região. A busca por uma solução justa é fundamental para preservar não apenas os interesses do proprietário do imóvel e dos moradores locais, mas também o potencial turístico da área.

Por Johô Notícias

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

Lula homologa a terra indígena Aldeia Velha de Porto Seguro

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) homologou nesta quinta-feira (18), em cerimônia em Brasília, duas terras indígenas: Aldeia Velha, em Porto Seguro/BA, e Cacique Fontoura, no Mato Grosso. A homologação é a penúltima parte do processo de demarcação. A expectativa, no entanto, era...

Carnaporto Axé Moi em Últimos dias de vendas on-line

A ansiedade aumenta, e a contagem regressiva está a todo vapor! E você, vai ficar ai parado? Não perca a chance de fazer parte do Carnaporto Axé Moi 2024 nos dias 14,15 e 16 de fevereiro, na Arena Axé Moi em Porto Seguro -...

Chef de cozinha assassinado em Porto Seguro deu golpe de 11 milhões de reais na Espanha

Um crime às margens do rio Buranhém na madrugada da última sexta-feira 24/11, em Porto Seguro, ganhou repercussão nacional e internacional devido a forma brutal. Um casal de 'empresários' foi assassinado com requintes de crueldade, o chef de cozinha espanhol David Peregrina Capó, de...