John Textor entregará a senadores supostas provas de manipulação

Publicado em

spot_img
Tempo estimado de leitura: < 1 minuto

John Textor, controlador do Botafogo, será ouvido nesta segunda-feira (22/4) pelos senadores da CPI da manipulação de resultados e apostas esportivas. Ele é o primeiro a depor na comissão.

O americano foi convidado a dar declarações após afirmar mais de uma vez que jogos do Campeonato Brasileiro sofreram com manipulações.

Ele sempre sustentou ter provas sobre o que dizia, mas se recusou a entregá-las ao STJD e por isso responde a um processo no tribunal. Porém, as forneceu à polícia um bom tempo depois.

Questionado pela coluna se iria apresentar este material aos senadores, ele disse que sim.

“Eu forneço provas sempre que alguém pede, se estiverem em uma posição de autoridade e puderem garantir os direitos constitucionais das pessoas envolvidas nas acusações. Obviamente, os senadores têm o direito constitucional a essas informações, e serei muito aberto com eles”, contou.

Já segue a coluna no Instagram? E no Twitter?

Que você achou desse assunto?

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

- Publicidade -

ASSUNTOS RELACIONADOS

Saiba quem é a mulher encontrada carbonizada na RMS

Um corpo foi encontrado carbonizado neste domingo (26) em uma área de mata na cidade de Simões Filho, na Região Metropolitana de Salvador. A vítima, Suelem dos Santos Ferreira, de 28 anos, era manicure e mãe de quatro filhos, com idades entre 7 e 14 anos.   De acordo com o G1, o corpo de

Livraria Cultura vai abrir loja em casarão histórico de Higienópolis

São Paulo — Depois de fechar a famosa loja no Conjunto Nacional, a Livraria Cultura vai inaugurar uma nova unidade em um casarão histórico em Higienópolis, bairro nobre na região central de São Paulo. A informação, divulgada em uma rede social, foi confirmada ao Metrópoles pelo advogado da rede, Gustavo Bismarchi. Antes de fechar as

STF decide que União deve definir destino de valores obtidos com condenações e delações

Por unanimidade, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que é de responsabilidade da União definir o destino de recursos obtidos com delações premiadas ou condenações criminais em casos em que a lei não prevê uma finalidade específica para esses valores.    O entendimento firmado pela Corte veda que o direcionamento dessas quantias seja fixado pelo